Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade do Colorado em Boulder está utilizando a sonda solar Parker da NASA para estudar o fenômeno dos relâmpagos em Vênus, um dos planetas mais enigmáticos e inóspitos do nosso sistema solar. Essa missão tem como objetivo resolver o debate de longa data sobre se há ou não raios no segundo planeta mais próximo ao Sol.

Durante o quarto sobrevoo próximo a Vênus em fevereiro de 2021, a sonda Parker Solar Probe detectou “ondas silvantes”, que são pulsos de energia associados aos relâmpagos na Terra. No entanto, os dados coletados sugerem que essas ondas em Vênus podem não ser causadas por relâmpagos, mas sim por perturbações nos campos magnéticos fracos do planeta.

Harriet George, autora principal do estudo e pesquisadora pós-doutoral no Laboratório de Física Atmosférica e Espacial (LASP), explicou que na Terra, as ondas silvantes frequentemente, mas nem sempre, são produzidas pelos relâmpagos. Quando um relâmpago atinge, ele agita os elétrons na atmosfera, gerando ondas que viajam para o espaço e criam tons silvantes. Operadores de rádio na Terra podem ouvir esses tons através de fones de ouvido, daí o nome “silvantes”.

Os pesquisadores usaram o Experimento FIELDS na sonda Parker Solar Probe, que inclui sensores de campo elétrico e magnético, para rastrear esses sinais. Curiosamente, observaram que as ondas silvantes de Vênus se moviam para baixo em direção ao planeta, em vez de se moverem para o espaço como seria esperado durante uma tempestade de relâmpagos. A causa desse movimento incomum, conhecido como silvante inverso, ainda não está clara. No entanto, os pesquisadores suspeitam que a reconexão magnética, um fenômeno que envolve a separação e o reencontro de linhas de campo magnético torcidas ao redor de Vênus, possa ser responsável por essa anomalia.

Esse estudo lança luz sobre nossa compreensão limitada de nosso vizinho planetário mais próximo e destaca a imensa complexidade das atmosferas planetárias. Mais pesquisas são necessárias para descobrir os segredos dos relâmpagos em Vênus e aprofundar nosso conhecimento sobre esse planeta enigmático.

Fontes:
– Artigo: Estudo do CU Boulder (encontrado por meio de motores de busca).
– Imagem: Getty Images.